sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Inopexia televisiva


Eu tenho a ciência que não posso agradar todo mundo com meus textos. Mas, não posso me preocupar com isto, caso contrário ficaria refém de uma perfeição que nunca alcançarei. Falo isto porque, depois desta crônica, haverá pessoas que dirão que sou defensor da Globo. Eu me retrato dizendo que apenas tento defender a lógica e a coerência, duas coisas que todos, incluído eu é claro, nem sempre conseguem ter.
Não acho que a Globo seja a responsável por todo mal do mundo.
É impressionante, e chega ser engraçado, a quantidade de pessoas que praticam o xingamento contra esta emissora que para mim é apenas uma rede de TV. E é hilário saber que a maioria dos reclamantes assistem frequentemente muitos dos programas que criticam.
Não podemos negar que a Globo tem as melhores: programações, coberturas jornalísticas, transmissões e novelas. E ainda é campeã de audiência em quase todos os momentos do dia. Também não sou inocente e entendo que é uma grande formadora de opiniões sejam estas boas ou ruins. E sei que tem muita coisa que desagrada, como o futebol cujo início é agendado conforme sua grade de programação, e raramente as transmissões das partidas que não pertencem ao eixo Rio-SP chegam aos estados de origem. Tem também a falta de respeito com o telespectador em relação aos horários, principalmente das programações diárias que tem variação conforme o dia da semana e etc. Mas, não é por isto que deva ser amaldiçoada por qualquer coisa.
Todas brigam por audiência, e por esta, moverão montanhas para conquistar a preferência dos seus clientes, ou seja, nós. Quanto mais pessoas assistem, maior é o interesse dos anunciantes e mais lucrativo fica o espaço para o comercial. E todas, sem exceção, se utilizarão de artimanhas para aumentar o público. Assim as emissoras transmitem as opções mais bizarras que um ser humano pode criar. Mas, vejo que somente a Globo apanha da opinião pública mais elitizada.
É esquisito ver que quando mal começam as inscrições para o Big Brother Brasil 2013, já aparecem nas redes sociais manifestações de repúdio contra o programa. Não quero convencer vocês que o BBB é um programa supimpa. Primeiro teria que convencer a mim mesmo. Mas, é indiscutível que se trata de uma apresentação que dá ibope. Se não, acreditem, a Globo não o produziria e principalmente não o exibiria colado ao horário nobre.
Na semana passada, a Record encerrou o seu reality show a Fazenda. Tirando a proposta, que eu até acho interessante, o efeito do programa é igual ao BBB. Para quem não conhece, este programa consiste em seus integrantes, por se tratar de uma fazenda, cuidar de animais, hortas e afins podendo sofrer punições se as tarefas não forem cumpridas corretamente. Isto dá uma pequena vantagem em qualidade para a concorrente da poderosa porque torna os seus peões, assim chamados pelo apresentador, pessoas úteis em vez de “heróis” vagabundos que ficam o dia dormindo, cuidando do corpo ou na piscina. A outra diferença, é que os personagens, eu não sei se seria uma vantagem, são “famosos”. Mas, são cantores fora da mídia ou em fim de carreira, atores pouco conhecidos ou ex-globais, jogador de futebol aposentado, celebridades instantâneas tipo daquelas que vão a faculdade com um vestidinho menor que as nádegas e outros famosos anônimos como ex-paniquetes. De resto é manipulação, barraco, baixaria, fofoca, bebedeiras e palavrões que tornam o programa tão cultural quanto o BBB, ou seja inútil.
O intrigante é que, levando em conta a amostragem do meu mundo virtual, durante os três meses de programa nada foi postado nas redes sociais. Nem reclamações, tão pouco elogios, o que me leva a crer que ninguém viu.
Será mesmo ou já virou fetiche falar mal só da Globo?
Alguém há de dizer: - Amarradão em Reality hein?
Não sou. Mas, não vou negar que já vi e de vez em quando vejo. Ainda mais neste período que estou sem opção de assinatura e a TV aberta está cada vez mais pobre deixando qualquer pessoa nestas condições sem opção. Entretanto, estou muito longe de procurar cultura neste nível de programação que serve apenas para dar eventuais risadas, e muitas vezes neste horário me dedico a escrever. Porém, é necessário no mínimo beliscar a TV para poder falar, mesmo que seja mal.
O que quero dizer realmente é que tem a turma dos que veem e assumem, dos que veem e dizem que não, dos que realmente não veem e dos mais engraçados que veem, dizem quem não, mas sempre comentam nas rodas de papo.
Dando uma folga para os Realities, em minha opinião existem coisas piores como o Pânico. Nunca vi algo de tão mau gosto e tão sem graça. E os caras se acham. Mas, se a Bandeirantes se aproveitou do litígio da produção desta “formosura” de programa com a Rede TV e contratou estes “gênios da cultura cômica” é porque algum ibope dá, mesmo que seja para concorrer com as emissoras de segunda linha. Ou seja, têm gente que assiste. E eu sei que muitos deste público picham o BBB mesmo sendo assíduos.
Mas, para mim a Band se redime porque tem um programa legal e inteligente, o CQC, e ao contrário de muitos, eu acho o Oscar Filho muito melhor do que o Marco Luque, que por sua vez é sensacional.
Uma coisa que eu reparo muito constantemente são os vários programas, e de todo tipo, das outras emissoras que fazem o seu conteúdo fórum de discussão cujo assunto são os programas da Globo. E ninguém comenta nada sobre isto. O incrível é que se a Globo quisesse proibir, alguns destes programas se extinguiriam. Mas, no meu ponto de vista dá mais ibope ainda para a poderosa.
Tem outras redes televisivas que esperam a Globo terminar a novela das 9h00 para iniciar sua programação principal. E isto não é de hoje.
Quanto à acusação de manipulação, edição e etc., existem muitos exageros e sabemos que neste negócio não há santinhos e todas mostram as coisas conforme suas necessidades e vontades. Mas, hoje em dia com os celulares possuindo câmeras potentes e a internet com o poder de fogo que tem, fica muito difícil não mostrar o acontecimento da forma que realmente foi. O que muda é a interpretação e a forma de cada emissora passar a informação. Para isto, todos nós estamos livres para praticar a arte da crítica.
É claro que deu vontade de rir quando o Galvão falou “ao vivo” em uma luta do Anderson Silva enquanto muitos já sabiam do resultado porque a mesma tinha sido transmitida horas antes no “pay per view”. Mas, não podemos esquecer o escândalo do Gugu entrevistando os falsos integrantes do PCC e muito menos um babaca, que recuso a dizer o nome, em um programa  armado de teste de fidelidade. Ou seja, todas emissoras pisam na bola.  Logo, vamos criticar sem preconceitos.

9 comentários:

  1. Gostei muito! É bem isso aí Chamun!!
    Ninguém é santinho, a maioria dos apresentadores são irritantemente mal educados!!!

    ResponderExcluir
  2. Genial como sempre Primo!!!
    Adorei!!
    Beijos
    Cris

    ResponderExcluir
  3. Sim a globo tem seus pros e contras, mas eu não consigo assistir a SBT com aqueles episódios horríveis de chaves e aquelas novelas mexicanas insuportáveis, e a band ou record (não sei) com aquelas novelas de época e efeitos nada a ver. não sou refém de TV .. acho que não passa nada de útil, mas sou escrava nata de internet

    Adorei o blog, te seguindo :)

    Trollando Mesmo

    http://qualetrollandomesmo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Cara, ja fazem anos que não assisto TV Aberta...é tudo uma grande m........

    Abração,
    Cerdil

    ResponderExcluir
  5. É como eu vi uma vez: "A TV aberta tem 6 opções de canais, fora a Globo, vocês criticam porque gostam". Hoje é comôdo criticar a Globo, mas é idiota, pelo menos eu acho. Existem opções... enfim, excelente texto, tô "fuçando seu blog" rs.

    ResponderExcluir
  6. Concordo plenamente.
    o Globo não é santinha, mas não é a culpada de tudo.
    Texto perfeito.

    ResponderExcluir
  7. Muito bem escrito esse texto. Inspirador.

    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Espetacular amigão eu penso da mesma forma! Eu gosto da Globo e é um direito meu.

    ResponderExcluir