domingo, 28 de agosto de 2016

Caro Neymar Jr.

Caro Neymar Jr.

Primeiramente eu gostaria de parabenizá-lo pela medalha olímpica. Parabéns que merecidamente deve ser repartido com todos os jogadores e comissão técnica.
Depois, quero dizer que tu és o melhor jogador brasileiro em atividade e que com certeza um dos melhores do mundo e, ainda que, no Barça tu arrasas. 
Há gente que te critica por ganhar milhões só para chutar uma bola, mas eu ignoro este fato, pois se tu tens um dom, deve explorar isto e a culpa é do mercado financeiro do futebol e não dos jogadores.

terça-feira, 19 de julho de 2016

Dia do amigo, outra vez

Por que não se pode dizer “Eu te amo” para um amigo ou amiga?  Não só podemos como devemos.
O amor é um sentimento de várias escalas que temos por pessoas próximas ou por quem admiramos. É o simples fato de nos importarmos com alguém. Querer saber se esta pessoa está bem, feliz e com saúde.
O amor pode vir junto com aquela paixão avassaladora, com ou sem sexo. Porém, não é isto que está em pauta agora, e sim o amor de amigo, pois o amigo é aquele irmão que não tem o mesmo sangue.
São ignorantes aquelas pessoas que dizem que não existe amizade entre um homem e uma mulher. Tremenda bobagem. Podem ser amigos sim sem precisar se envolver sexualmente ou sem ter a paixão, ao não ser que seja uma paixão de amigo. O amor de amigo é incondicional, sem interesse sem objetivo. É simplesmente vontade de compartilhar os bons momentos e necessidade e obrigação de apoiar nos maus.
É, o amigo... o amigo é aquele que nem o tempo nem a distância conseguem separar.
A amizade é uma coisa pura, sem explicação. É um sentimento nobre.
Diga eu te amo meu amigo, ou minha amiga, pois ele ou ela é quem estará ao seu lado quando ninguém mais estiver.

Este texto é dedicado a todos os amigos, mas em especial a minha amiga irmã de todas as horas, Rossana Lamb, que está fazendo aniversário hoje.
Rô: Feliz aniversário e feliz dia do amigo. Eu te amo. 

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Justiça contra barbáries

Há muito que não escrevo, pois me falta inspiração.
A crise no nosso país não afetou apenas minha conta bancária como também afetou minhas ideias.
A gente gasta muita energia discutindo política no Facebook e nada novo se cria.
Infelizmente o que me motivou a escrever novamente foi a barbárie que aconteceu em uma comunidade na Zona Oeste do Rio. Esta aí outra coisa que eu acho ridícula: Comunidade! Tiraram o nome favela, mas pessoas de bem continuam vivendo em condições precárias em casas improvisadas com o esgoto a céu aberto e refém de criminosos. Até parece que tudo isto some quando se fala comunidade em vez de favela.
Voltando ao assunto...

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Shortinho, Sim ou Não?

Esta semana explodiu nacionalmente a polêmica do “vai ter shortinho, sim”, cuja iniciativa do movimento é de um grupo de alunas, de 13 a 17 anos, do Colégio Anchieta da rede Jesuíta de Educação, uma escola tradicional e das mais antigas de Porto Alegre.
            Eu sempre tive um posicionamento forte de que não é porque a mulher está vestida com roupas provocantes é que deva ser alvo de ofensas ou ataques físicos. Entretanto, também acho que ela deve ter noção de evitar se vestir assim para frequentar locais não favoráveis. E não me entendam mal, pois como eu já disse, a minha opinião é forte neste sentido, pois por mais que use roupa sensual ou sexy, a mulher não pode, em hipótese alguma, ser tocada a não ser que queira, mas para que arriscar? 

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Íncubo

            

            Hermes, um homem de meia idade, bem apresentando e de boa educação, entra em uma cafeteria tradicional e se direciona para o balcão quando outro homem, mais jovem, se vira repentinamente com sua xícara de café e esbarra nele. 
            – Porra! Não olha por onde anda – fala Jackson.
            – Foi você quem virou repentinamente – responde Hermes.
            Jackson não admite o erro e inicia uma discussão. Porém, uma bela moça levanta-se e toma partido de Hermes.