terça-feira, 24 de março de 2020

A doce idosa, a sobrinha e o surtado



Em 2015, eu fui ao encontro de minha amada na sua cidade natal, Cafelândia - SP. Como eu estava na capital paulista e na ocasião sem carro, fui de ônibus.
São 450 km de distância e mais ou menos 6 horas de viagem. Na ida peguei o busão das 23h30, logo, viajei durante a madrugada.

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Uva passa, comer ou não comer, eis a questão


Chegou o fim de ano e já começou a campanha contra a uva passa.
Minha mãe sempre me ensinou que gosto não se discute. Porém, o que estes fascistas pensam que são para difamar as coitadinhas que não apenas enfeitam o arroz como dão mais sabor. 

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Dia dos namorados

Todo o dia deveria ser o dia dos namorados...
Não sou expert em edições, mas ...
Clique na bolinha vermelha com a flecha!


terça-feira, 30 de abril de 2019

Show na sinaleira


Há pouco mais de uma semana, em uma sinaleira em Campinas, eu estava de carona com amigos e um cara veio pedir R$ 1,00 para tomar cachaça.
Eu comecei a rir e ele disse:
– Se eu falo que é para comprar comida você vai saber que estou mentindo e não vai me dar. Então, falo logo a verdade. É  pra cachaça mesmo.
Eu dei a ele R$ 2,00, mas não porque falou a verdade ou mentiu e sim porque me fez rir.
Um senhor que estava no carro ao lado disse:
– Caiu no conto do vigário.
– Eu dei o dinheiro pelo show. Ele me fez rir – respondi.
– Vai comprar meia pedra – ele insistiu.
A sinaleira abriu, ele arrancou e eu não consegui falar, mas o que queria dizer é:
– Quando tu pagas um ingresso e vais ao teatro, não te preocupas se os atores irão sustentar a família, guardar o dinheiro, beber cachaça, consumir outras coisas ou comprar um iate. Simplesmente vai pelo espetáculo. Se o rapaz tivesse apenas pedido dinheiro, certamente eu não teria dado. Porém, ele fez mais do que pedir dinheiro. Ele me fez rir e por um bom tempo, e não apenas pelo que disse como também pela atuação. E quando eu lembro, ainda me dá vontade de rir. Logo, paguei R$ 2,00 e muito bem pagos, por um show que achei o máximo.  

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

A/C de João Dória


Caro Prefeito João Dória
           
Em primeiro lugar, para estreitar a distância, eu gostaria de evitar as formalidades de chamá-lo de senhor, vossa excelência e outras coisas.
Em segundo, eu gostaria de ser honesto e avisar que não votei em ti porque, apesar de morar em São Paulo, não voto nesta cidade.  Aproveitando também, falo que não simpatizo com o teu partido, aliás, não simpatizo com partido algum.  No entanto, lhe desejo muita sorte neste grande desafio e torço muito pelo teu sucesso, pois mesmo não tendo minha simpatia quero uma cidade próspera, segura e organizada. 
Em terceiro, vamos ao objetivo desta minha comunicação...
Acredito que estejas recebendo milhões de solicitações por e-mails, whatsap, comentários no face, instagram, cartas, SMS, telefonemas, bilhetinhos por assessores bilhetes em papel de pão, sinais de fumaça e etc...
            Porém, não quero um pedido pessoal e sim algo que vai beneficiar muitos moradores de São Paulo.
            Estou me referindo aos pancadões das madrugadas espalhados pela cidade. Eu sei que alguns já estão sendo coibidos, mas o da Paraisópolis, que é próximo de onde moro, continua a todo vapor. E muitas vezes começam na quinta e terminam apenas na segunda de manhãzinha.