domingo, 28 de setembro de 2014

Policial, culpado ou inocente?


Hoje o assunto é mais que polêmico. As opiniões sobre estão muito divididas. Logo, haverá quem me apoie e quem me critique. Como unanimidade em casos polêmicos é uma utopia dou minha cara a tapa. E depois, não é a toa que a palavra polêmica compõe o nome do meu blogue.
Sabemos que a polícia brasileira é despreparada. E não sei quando teremos uma polícia que nos dê segurança como merecemos ter. No entanto, nem tudo que acontece é culpa deles. Existem policiais bons e ruins como em toda profissão.
Vocês podem não acreditar, mas muitas vezes a polícia tem medo. Não é fácil ser policial no Brasil, pois a população já pegou aversão e os criminosos não pensam duas vezes antes de atirar em um policial.

sábado, 20 de setembro de 2014

Farrapos Guerreiros


Foi o vinte de Setembro
O precursor da liberdade
Do muito que me lembro
A procura da verdade
Um povo bem guerreiro
Em uma impossível guerra
Mesmo sendo brasileiro
Peleou por sua terra

domingo, 14 de setembro de 2014

Arrombamento frustrado

Gonçalves é um cara pacato, da paz, mas faz aulas de “Muay Thai” para ter uma atividade física. Ele se formou em Engenharia Eletrônica e é especialista em implosões.
Há anos, ele tem uma casa de veraneio, na cidade Balneário das Pinhas, onde é muito conhecido, para curtir os fins de semana, verão e feriados prolongados.
Nos últimos anos, coisas não muito agradáveis começaram acontecer nestas praias ao final do verão. Larápios invadem as casas dos veranistas para roubar. Como os arrombamentos têm se tornado muito frequentes, Gonçalves tira uns dias de folga e vai, com sua esposa, a sua casa de lazer para providenciar um alarme, que é um recurso respeitado pelos arrombadores, pois o mesmo fica ligado a uma central da empresa responsável pela segurança. 

domingo, 7 de setembro de 2014

Eu choro em silêncio


Eu choro em silêncio.
Lágrima que não cai.
Angustia que não sai.
Amigos invisíveis,
solidões insensíveis,
O mundo não para.
A verdade não sara.
Eu choro em silêncio,
A vida insinua,
que a minha diminua.
O grito de socorro,
que eu incorro,
é grito abafado,
coração assustado.
Eu choro em silêncio,
Saudade que mata.
Infâmia bravata,
Não consigo dormir.
Nem sei aonde ir.
Lágrima que não cai.
Angustia que não sai.
Eu choro em silêncio.

PS: 
Com esta poesia eu fiquei em segundo lugar no 9ª Pena de Ouro, concurso provido pelo blogue Ostra da Poesia
A gravura é a fotografia da obra "O menino e os pássaros" realizada em 1980 pelo meu saudoso Tio Flávio, que nos deixou no mesmo ano. É um autorretrato de sua infância.