sábado, 12 de janeiro de 2013

Noites insanas



Era uma noite horrível, muito diferente de todas as outras. Trovões ecoavam pelo casarão que mais parecia um castelo assombrado. Os raios caiam perto dali e a janela da tranca quebrada, com a ventania, batia o tempo todo.
Jonatan parecia não se preocupar com o clima fantasmagórico que tinha se instalado no local e ficava olhando pela janela do segundo andar em direção ao lago. Apesar da tempestade, ele sabia que ela não demoraria aparecer.
– Ela sempre vem – pensou ele.
A moça surgiu do meio da neblina com seu longo vestido branco semitransparente e os cabelos negros esvoaçantes.
– Está mais linda do que das outras vezes – falou sorrindo. 
Ela se aproximou da casa cuja porta já estava aberta.
Ele a aguardava ansiosamente no quarto onde estava.
– Olá! Hoje você está especial. Muito mais linda do que a primeira vez.
– Impressão sua. É porque será nossa despedida.
– Por quê? Não pode me deixar.
– É você que me deixará.
– Nunca a deixarei.
– Sim! Deixará, mas não será culpa sua. Eu compreenderei e nunca deixarei de te amar.
– Não deixarei não.  Eu a amo demais. Minha vida é você, mas falaremos de outra coisa.
– Sim! Aproveitaremos cada instante.
Eles se beijaram, trocaram carícias, se amaram e dormiram abraçados. Foi um ritual rotineiro que durava há quase um ano.
Quando amanheceu, os raios do sol invadiram a casa pelas frestas das paredes rachadas e acordaram Jonatan, que mais uma vez se deparou com a ausência de Marcele.
– Como sempre, ela me deixa antes mesmo do amanhecer.  Ah meu amor! Minha Marcele. Meus dias nunca mais foram os mesmos depois que a conheci.
Jonatan sonhava acordado com a sua doce amada quando subitamente barulhos de máquinas o trouxeram para a realidade.
Os operários perceberam o movimento no casarão, então pararam as atividades e comunicaram ao engenheiro chefe.
– Deve ser o Jonatan. Meu Deus! Ele ignorou a ordem de despejo.
Um megafone foi providenciado...
– Jonatan! Saia da casa imediatamente.   Ela será demolida.
– Não sairei! Ela vai voltar. Preciso ficar aqui para esperá-la – gritou Jonatan.
– Ela quem? – murmurou o engenheiro.
– Chefe – falou um dos operários – nós vimos um movimento em outro cômodo.
– Só o que me faltava, outro maluco. Vamos ter que entrar.
Depois ter passado quase uma hora...
– Chefe! Não encontramos mais ninguém. Apenas o maluco que não quer sair.
– Não tem jeito. Vou ter que chamar o resgate.
Com a chegada do resgate, Jonatan foi imobilizado e retirando do local. A luta foi grande e ele teve que ser sedado.  Levaram-no abraçado a um porta retrato que continha uma fotografia impressa em uma velha folha de jornal.
Após a demolição, preocupado com Jonatan, o engenheiro Alan foi até o hospital onde ele foi internado. E lá conversou com o médico responsável.
– Vocês são amigos?
– Não propriamente. Nós fomos colegas de escola.
– O quadro dele é psicótico.
– Achei que era excentricidade.
– Qualquer informação pode ajudar.
– Há meses que ele morava naquele casarão caindo aos pedaços. Ele se mudou logo depois que passou uma noite inteira lá por causa de uma aposta. Devido a casa ter fama de assombrada, ele fez esta aposta com os amigos. A partir daquela noite, inexplicavelmente, ele alugou o casarão e se mudou para lá, mas a casa estava condenada. Foi um erro da imobiliária, que não deu baixa no cadastro.  Sou o único herdeiro e como engenheiro eu vi que a casa não tinha condições de moradia. Então a condenei. Ele não quis sair de jeito algum. A justiça deu a ordem de despejo que ele não respeitou. Ele fingiu ter saído da casa e depois retornou.
– Interessante. Ele alguma vez comentou sobre uma companhia feminina?
– Não. Nos poucos contatos que tivemos nunca comentou. Por quê?
– Porque ele insiste em dizer que precisa estar lá para recebê-la porque ela vai voltar.
– Pois é. Isto ele falou na hora da demolição, mas quem será ela?
– Ele falou Marcele, significa algo para ti?
– Coincidência.
– Com o quê?
– É o mesmo nome da minha tia.
– Espere um pouco – o médico vai a até a mesa e pega um retrato – por acaso é esta?
– Sim! Minha tia Marcele é exatamente esta mulher da foto.
– Esta é a moça que ele diz que espera por ele. Ele estava abraçado a este porta retrato quando foi retirado da casa. Ele diz que se encontram todas as noites no casarão.
– Impossível doutor! Eu quase nem me lembro dela, apenas de fotografia.
– Como assim?
– Ela era a dona do casarão. Morreu afogada no lago quando eu ainda era criança. Inclusive esta foto é da notícia do afogamento. Minha mãe que guardava este retrato que ficou perdido lá desde o dia que nos mudamos.

48 comentários:

  1. Cara, adoro esses textos inusitados! Mas se fosse eu a olhar uma assombração, adeus casa, adeus bairro HAUHUAUAUHUAHUHAHUAU. Amei o texto! Até!

    http://thamyrisaquino.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Tham.
      Fico feliz por ser assídua do H.E outras polêmicas.
      Eu também estou sempre no teu.
      Bjs

      Excluir
  2. Eu morria se visse uma assombração. Apesar de ser uma fã de filmes e histórias de terror, acho ótimo que fantasmas e espíritos fiquem no cantinho deles e eu no meu. Adorei o texto!

    http://pleonasmosentimental.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tássia
      Eu sou de poucos medos, mas se tivesse seria medo dos vivos e não dos mortos. Ainda mais se fosse uma fantasma tão bela como Marcele. Bom, pelo menos o Jonatan a via assim - rsss.

      Excluir
  3. Um Conto envolvendo mas rotineiro, bem escrito mas acho que poderia ser mais criativo, aparições e fotos estão ficando batidos em contos e filmes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bruno.
      Toda crítica é bem vinda.

      Excluir
    2. Eu não vi nada de rotineiro.
      Muito bem escrito é pouco. Achei maravilhoso.
      Aparições e fotos batidas? Só por causa de filmes feito crepúsculo e cia.
      Este conto é maravilhoso. É só ver os comentários.
      Mas, vá lá. Não dá para agradar todos.

      Excluir
  4. Olá! Obrigado por passar lá no meu Blog.

    Gostei muito do texto, bem interessante.
    Acho o máximo esses textos que falam de assombrações e afins.
    Gosto bastante!
    Muito bom.

    Até mais!

    http://desenhosdiversosdopaint.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O teu blogue também é legal.
      Vou sempre aparecer por lá.

      Excluir
  5. Olá Claudio!
    Sei que demorei 1 a dois dias pra responder rs.
    Mas sempre que venho no seu blog eu me sinto tão leve.
    Adorei essa estoria que você escreveu, achei bem criativo e
    bem elaborado.
    abs

    Sempre voltarei aqui pra dar uma visita e um lida e comentada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo: Não importa quanto tempo leve, mas sim que venha.
      Obrigado pelas palavras de incentivo.

      Excluir
  6. Meu Deus! Que estória é esta?
    Simplesmente linda.
    Maravilhosa!

    ResponderExcluir
  7. Sinceramente não consigo escrever textos de terror, apesar de, como diz uma amiga, eu adorar matar as pessoas em meus contos.
    Eu gostei, não sou fã de nada na terceira pessoa, acho que fica muito aquém do que pode ser. Acho que não dá tanta emoção, mas isso é uma opinião pessoal.
    A história ficou boa, com um conteúdo legal, apesar de eu já deduzir que se tratava de algum fantasma, ela ou ele.
    Gostei...
    Muito bom!
    OBS.: Sou um consumidor voraz de terror e sou um tanto exigente. Gostei do trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Lipe.
      Toda opinião me faz crescer.
      Só não entendi o porque da terceira pessoa, por causa do narrador?
      O importante é que gostou.

      Excluir
  8. As pessoas que tem sensibilidade para ver além do que os olhos decodificam são vistas como loucas.
    Este texto mostra que exite muito mais do que podemos imaginar entre o céu e a terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei o que dizer sobre tuas palavras minha vida.
      Apenas que te amo demais.

      Excluir
  9. Nossa! Que história!
    Gostei muito.
    Parabéns! Fiquei criando imagens na minha cabeça de tudo.
    Pobre Jonatan!

    Obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Hozana, e a ideia é esta mesmo deixar a imaginação crescer.

      Excluir
  10. Continue com seu bom trabalho amigo.
    ^^

    ResponderExcluir
  11. Isso me lembrou do conto do quarto de hotel que sempre estava fechado. Ao olhar pela fechadura um hóspede curioso só viu uma silhueta de uma mulher lá dentro, olhou de novo e estava tudo vermelho. Depois perguntou na recepção sobre o caso. Contaram que ali um homem matou sua esposa e se suicidou em seguida, o quarto tem uma energia estranha e decidiram trancar. Disseram que a mulher estava com um rosto muito triste e os olhos vermelhos de tanto chorar sangue.
    O hóspede de lembrou do que viu...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk me diz o nome deste hotel que vou passar longe.

      Excluir
  12. Gosto de textos neste formato, o teu é esplêndido, admiro quem tem o dom de criar algo assim, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Marília.
      Assim eu fico mais motivado ainda.

      Excluir
  13. Muito legal seu texto =)

    bjos

    www.coisas-jujuba.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. oi Chamun! como sempre criativo e prende a atenção. Tá ficando cada dia melhor! parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Le. A gente vai tentando evoluir.
      Aceito dicas;

      Excluir
  15. Confesso que fiquei com medo, e por isso posso te parabenizar, porque acredito que era esse seu intuito HAHA.
    Gostei daqui :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk o meu intuito Thaines era explorar a imaginação das pessoas, se fosse pelo medo, seria com uma pimentinha a mais.
      Obrigado.

      Excluir
  16. Prefiro acreditar que ele estava realmente louca a crer que a casa era mal assombranda. KKK
    Vc escreve muito bem . :D
    http://oicarolina.wordpress.com

    ResponderExcluir
  17. Bom .. "Há mais mistérios entre o céu e a terra, do que nossa vã filosofia desconhece." (Desc. Autoria)

    Acho que é por ai mesmo ...

    Abçs
    Rafa e My

    ResponderExcluir
  18. Olá vim te visitar e gostei bastante deste conto!!!
    Vou ficar por aqui!!!
    abraço
    anacosta

    ResponderExcluir
  19. Olá gostei muito deste conto é um pouco a minha leitura preferida, mistério, suspense....
    abraço
    anacosta

    ResponderExcluir
  20. Essa história é meio assustador mesmo não acreditando em assombração, Cláudio bom final de semana, beijos.

    Links:

    Estrela da Manhã

    Divulgue seu blog no face

    ResponderExcluir
  21. Muito bom,uma estória que daria um livro,com certeza,muito bacana.-
    Parabéns,um abraço e fica com Deus.

    ResponderExcluir
  22. Muito bom,na certa daria um livro,muito bacana.-Parabéns,um abraço e fica com Deus.

    ResponderExcluir
  23. Bem... Hoje eu vou dormir um tantinho desconfiada com a janela do meu quarto.... Excelente ! Parabéns !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Não esqueça de olhar embaixo da cama, Cátia.
      Obrigado.

      Excluir
  24. Acho que todo mundo já teve noites insanas, eu já tive noites, tardes, madrugadas e manhãs insanas, todas valeram a pena viver.

    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir