domingo, 16 de junho de 2013

A carreira de Toninho



Durante o intervalo da final do campeonato estadual, na cidade de Capinzinho, um molequinho que trabalha de gandula é observado pelos dirigentes do time visitante, o Capital FC, que disputa a final contra o time local.
Toninho brinca com seus colegas no campo enquanto as equipes descansam. A torcida acha graça naquele menino que humilha os demais com seus dribles desconcertantes.
Após o jogo, mesmo com a derrota e com isto a perda do título, um dirigente do Capital permanece na cidade para localizar o garoto.
No dia seguinte, Osvaldo Luz, diretor e olheiro do Capital FC consegue localizar a mãe do menino, a dona Maria Rosa, e conversa com ela. Ele a faz entender que é uma oportunidade para o Toninho iniciar uma carreira nas categorias de base de um grande clube. Ela hesita, mas vê uma excelente chance de mudar o futuro do filho. Agora, só falta ele querer.
Ao chegar do colégio, Toninho se surpreende com a visita ilustre e atentamente recebe as explicações. Ele não pensa duas vezes, pulando de alegria, aceita a proposta. Mesmo tendo apenas 12 anos, sabe que a oportunidade é de ouro e não pode perdê-la. Bem informado sobre o mundo futebolístico pelas leituras de jornais na barbearia da cidade, ele sabe que o Capital FC é um clube que está quase sempre nas decisões enquanto que seu time do coração em toda história, apesar de ter sido campeão, chegou apenas uma vez. E ainda, este clube é de primeira divisão nacional.
Osvaldo consegue um emprego na capital para a dona Maria Rosa fazendo com que o menino fique mais amparado, mas ele passa a morar no clube pela facilidade de estudo e treinamento.
Toninho é sempre o primeiro a se apresentar e cai nas graças do treinador não só pela habilidade, mas também, pela dedicação.
O tempo vai passando e Toninho subindo de categoria.
Ver um jogo da arquibancada não era mais novidade para ele. Assiste inclusive com tristeza uma goleada histórica de 5x0 aplicada no seu time do coração, o Atlético de Capinzinho, no ano em que foi rebaixado. É claro que Toninho mais esperto, mais vivido, sabia que o time da sua cidade natal era um clube pequeno e que aquele ano de glória foi um ano especial.
Ciente que sua realidade é o Capital FC assina seu primeiro contrato profissional aos 17 anos e fica a disposição do treinador, recém-chegado ao clube, Euclécio Danúbio.
Toninho não é aproveitado entre os profissionais, mas um dia o treinador o chama para jogar na ala direita. Toninho era meia-atacante, mas não rejeitou a oportunidade. Ele faz sua estreia em um jogo do campeonato estadual marcando um gol, mas não teve muitas chances de atuar nos jogos seguintes. Neste ano, embora fosse sempre um dos favoritos, o Capital não chegou as finais do estadual. A última vez que tinha perdido o campeonato foi justamente em Capinzinho. No nacional a campanha da equipe foi mediana.
Com os maus resultados, Euclécio é demitido e o novo treinador assume. É Janílson de Freitas, mais conhecido como Janjão, o ex-ídolo de Toninho.
Na temporada seguinte, Toninho passa a ser mais aproveitado na equipe entrando em quase todos os jogos.
O Capital volta a ser campeão estadual. Toninho fica feliz com seu primeiro título profissional, mas a alegria não é tão grande como na vez que foi gandula, pois ele foi reserva o tempo todo.
O Capital contrata jogadores experientes e juntando-se a eles Toninho assume a titularidade na sua posição de origem e passa a ser o melhor jogador do time.
O que falta para o clube é um título nacional.
Com os reforços e o talento de Toninho o Capital tem grandes chances de realizar este sonho.
O campeonato é acirrado, mas o Capital chega à final.
Toninho cada vez mais titular enche os olhos da torcida e é o terror das defesas adversárias, mas sua inexperiência lhe prega uma peça. Ele é envolvido pelos seus companheiros e sai à noite fugindo da concentração. Toninho não era disso, mas era uma novidade e ele foi mais levado na onda dos outros mais experientes do que pela própria vontade de ir.  Na boate onde estavam, Toninho se perde aos encantos da dançarina Wanda e deseja ficar mais um pouco enquanto seus colegas voltam para o clube. Toninho não bebe, mas a sua mesa está repleta de garrafas vazias. É o suficiente para um paparazzi o crivar de flashes. Com o fato injustamente noticiado, o Presidente Saulo Schneizzer, sem piedade, pressiona Janjão para tirá-lo do time. Apesar do protesto dos outros jogadores e da comissão técnica, Toninho não fica nem no banco de reservas.
De nada adianta os jogadores envolvidos esclarecerem o ocorrido.
Na verdade, isto tudo é pretexto para Schneizzer abrir caminho para Júlio Rosa que jogava na mesma posição. O passe deste jogador é 45% de Schneizzer.
Toninho continua treinando, mas fica fora do primeiro jogo da final que é contra o atual campeão, o Campeiros.
O primeiro jogo foi 2x2, em casa, cheio de confusões e duas expulsões para cada lado.
Sabendo que o segundo jogo seria ainda mais difícil e com a perda do atacante Júlio Rosa devido à suspensão automática por ter sido um dos expulsos, Janjão escala Toninho para a reserva mesmo contra a vontade de Schneizzer. Este não queria dar o braço a torcer alegando que a punição de Toninho deveria servir de exemplo.
E o jogo começa...
Já no início, a pequena torcida do Capital, clama pelo nome de Toninho. No banco, ele se lembra daquela final que assistiu do lado de fora do gramado buscando as bolas e revive o sofrimento de ver o jogo em vez de atuar.
O Adversário é difícil e a maioria da torcida é contrária.
Marcão, atacante do Campeiros, entra na área dribla o goleiro Manuel e é derrubado. O juiz marca o pênalti. Toninho já viveu isto, a história estaria se repetindo? Não, desta vez a falta é incontestável e para piorar Manuel é expulso por ser uma situação clara de gol. O Capital fica com um jogador a menos aos 17 do primeiro tempo.  O atacante Souzinha é substituído pelo goleiro reserva Bentinho. O próprio Marcão bate o pênalti e converte. O estádio explode e a pequena torcida do Capital se cala.
Na reserva, Toninho impaciente sabe que poderia estar ajudando o seu time. Mais agoniado está Janjão que vê seu melhor jogador no banco por uma atitude lamentável do presidente do clube.
Ainda no primeiro tempo, o Campeiros perde dois gols feitos e no finalzinho Gilson Marau de cabeça amplia o placar. Era o pesadelo se formando para o time do Capital.
No intervalo, Janjão manda Toninho aquecer. Imediatamente o telefone toca. É Schneizzer ameaçando demiti-lo antes do fim do jogo, caso ele coloque Toninho para jogar, mas Janjão muito conhecido pelos seus atos de valentia e defensor dos seus atletas troca o zagueiro Elton Batista por Toninho. Ele não poderia concordar em perder o título pelo ato irresponsável de um Presidente que não sabe o que é treinar no sol e na chuva. E ainda, logo o Toninho que, além de ser o melhor do time, é um exemplo de atleta. Agora é tudo ou nada.
E o segundo tempo começa...
Toninho pela direita deixa seu marcador para trás e cruza para Juca Belo cabecear para fora. Era o Capital reagindo. Não foi preciso mais de duas jogadas de Toninho para que o técnico adversário gritasse: ─ Gruda no 20.
Toninho está infernal. Ele dribla dois adversários e na saída do goleiro coloca com categoria para as redes. Eram apenas dez minutos do segundo tempo. As esperanças do Capital se renovam. Porém, em virtude do um homem a menos, o domínio territorial era do Campeiros. No entanto, o craque do jogo já despontava. Toninho tabelando com seus colegas invade a área adversária, fuzila o goleiro Diógenes e empata o jogo aos 35. Embora, a partir daí, a moral estar com o Capital, o domínio ainda era do Campeiros, principalmente após a substituição de Juca Belo pelo zagueiro Ferreira. A ideia de Janjão era poupar o time para a prorrogação, pois achava que a equipe poderia não aguentar todo o tempo devido expulsão na primeira etapa.
E de fato veio a prorrogação. E quando tudo parecia que a decisão iria para os pênaltis, em uma jogada simples, mas rápida, Toninho lança para o volante Zito na cara do gol para este marcar para o título.
O juiz dá o apito final. Acaba o sofrimento. O Capital FC é campeão nacional graças a Toninho que mudou totalmente o rumo da partida.
A pequena torcida aplaude de pé chamando o Presidente Saulo Schneizzer de todos os tipos de palavrões possíveis.
Os jogadores do banco de reservas e a comissão técnica invadem o campo para comemorar e carregar Toninho no alto.
O gol da vitória não foi de Toninho, mas, foi dele a reação da partida, os gols de empate e o passe preciso para o gol do título. Era mais um sonho realizado.
Este jogo ficará na história do clube e na lembrança eterna de Toninho.

71 comentários:

  1. Mias uma história de Toninho eba!! adoro ler segunda história de toninho depois daquele gol da outras história e volta para casa e sonhar. E hoje ele joga joga e não fez o gol mais ganhou pelo seu time. Poxa gostei dessa história sobre ele e sempre gosto de ler histórias boas venho aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rodrigo.
      Ele fez dois gols, pena que não foi o da vitória, né?
      Fico feliz por estar sempre por aqui;
      Abração;

      Excluir
  2. Boa Chamun... Agora sim o final de Toninho matou a pau! Muito Bom!

    ResponderExcluir
  3. Gostei da história. Por causa de um ato irresponsável do presidente do clube quase que o time perde.

    Achei muito legal essas histórias de sonhos realizados. Acredito que muitos garotos sonham em ter uma vida como o Toninho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Guto, tentei retratar na ficção a vida de sucesso de um destes garotos. Penas que muitos não tem a mesma oportunidade.

      Excluir
  4. Há mais Toninhos entre a arquibancada e o gramado do que imagina a vã redonda. Abraços e sucesso com o blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei do comentário.. rsss;
      Obrigado;
      Abraço;

      Excluir
  5. Esse texto conquista até quem não entende de futebol, quem sabe escrever escreve. Fiquei contente com o sucesso de Toninho, estava torcendo por ele. hahaha

    E também mostra o quanto é necessário arriscar, se o técnico tivesse obedecido e deixando Toninho no banco, coitado do Capital,às vezes é imprescindível dar a cara a tapa.

    Muito bom, eu que não sou muito chegada a futebol, me apaixonei pelo conto.

    Beijos
    www.semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico lisonjeado querida Mayra.
      Também sou fã das suas estórias.
      Beijos

      Excluir
  6. Não sei se só eu, mas as vezes esse Toninho me lembra o Neymar, não sei o porquê. Mas enfim, no final das contas o presidente era um desgraçado que tá mais preocupado com a imagem do que vitórias, e é mais ou menos assim que funciona com alguns clubes! Infelizmente!
    Gostei bastante do texto!

    http://oicarolina.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carolina, pode até lembrar - risos, mas quando eu escrevi este conto, o Neymar nem era conhecido.
      Fico feliz que tenha gostado.
      Obrigado.

      Excluir
  7. Falar de futebol para mim é pior do que Russo ( pois nesse caso eu teria o google tradutor rsrsrs ).Mas legal o texto Cláudio!!!
    Abraços

    http://blogluminoso.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. vim retribuir a visita!! já estou seguindo...
    abçs

    ResponderExcluir
  9. Sempre tem Toninhos por aí desses gramados, basta eles serem reconhecidos. Cláudio te desejo uma ótima semana, beijos.
    Lucimar Estrela da Manhã

    Divulgue seu Blog no Facebook

    Fan Page

    Faço Afiliação com Blogs


    ResponderExcluir
  10. Às vezes de quem menos quem menos esperamos vem as surpresa da vida.
    Todo mundo pode desacreditar de você, menos você mesmo.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  11. Ixiii, acho que já fui igual ao Toninho!
    Abraços - Junior
    www.artigodeopiniao.com

    ResponderExcluir
  12. Olá Claudio! Parece que eu estava adivinhando que o Toninho se tornaria um Grande jogador de futebol, não entendo nem gosto muito de futebol, mas a trama do conto me envolveu, e achei até que estava na arquibancada assistindo ao jogo e torcendo pelo Toninho...Parabéns pela coragem do técnico em arriscar a sua pele, quando acreditamos temos que tentar...tudo ou nada!
    Beijos com carinho
    Marilene

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, fico feliz que uma pessoas que não curte futebol tenha gostado da estória.
      Beijos

      Excluir
  13. Poucas pessoas conseguem realizar o grande sonho de ser um grande e famoso jogador. Creio que o jeito seja estudar, antes de tudo!
    Bjs - Suzana Rosa - www.rosachiclets.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toninho estudou, quem sabe eu faço a terceira parte - rss.
      Bjs

      Excluir
  14. Claudio.Creio que já comentei esse post lindo,pois seu blog está na minha lista de blogs favoritos,mas não apareceu meu comentário aqui.

    Você realmente comentou muitos posts meus hoje,segunda!

    Amei sua visita!

    Vai chegar a top comentarista,heim?


    Vou fazer o mesmo que vc assim que tiver mais tempo,ok?

    Beijos,obrigada e ótima segunda


    Donetzka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Donetza, estranho que o comentário não apareceu para mim.
      Não apresse, mas comente sem moderação - rss.
      Beijos, boa semana.

      Excluir
  15. Olá Claudio, tudo bem?

    Pra falar a verdade, detesto futebol e casei com um ex-jogador que sonhava em ter fama e sucesso... minha sogra sonhou isso também para os netos, mas enfim, hoje para um jogador fazer sucesso tem que ser "o cara" para ter destaque.

    Amei essa postagem, sobre a garra desse jogador. Fica uma lição para nossas vidas que mesmo em meio às adversidades, temos que ficar na expectativa de entrar em campo e, quando entrar, fazer o mais belo jogo e fazer nosso time vencer.

    Bjkssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha Jac eu discordo um pouco. Hoje em dia que o futebol está tão dominado pelos empresários que eu diria que qualquer perna de pau se dá bem.

      Obrigado pelo comentário e fico feliz que tenho gostado do texto.

      Beijos

      Excluir
  16. adoorei o texto!
    boa história!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Olá Claudio que belo história, um sonho realizado, por sinal lindo. Há pessoas que nascem para brilharem, Toninho nasceu para brilhar. Parabéns!

    Um abraço

    Maria Machado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele brilhou mesmo, né?
      Obrigado Maria.
      Abraço.

      Excluir
  18. Que bom ver a evolução de Toninho, garoto cheio de luz õ/
    abraaços :*

    Coruja Essência

    ResponderExcluir
  19. Olá, Claudio.
    Bonita crônica que poderia muito bem ser a história real de algum jovem brasileiro.
    Em nosso país, muitas vezes o futebol é a chance que muitas famílias tem de mudar de vida, e quem se aventura nesse meio tem de aprender rapidamente a evitar as armadilhas e deslizes que surgirão no caminho.
    Abraço, Claudio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que é amigo Jaques.
      A fama muito rápida pode dar transtornos a uma pessoa despreparada.
      Valeu.

      Excluir
  20. historia interesante...gostei
    em resposta a pergunta que vc fez no meu blogger. as minhas palavras são tudo que vem de coração

    Atualizado
    http://contosdagarotameroko.blogspot.com
    Amor,carinho,sentimento,amizade reflexão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taty.
      Palavras do coração são verdadeiras
      Obrigado.

      Excluir
  21. Bacana a historinha envolvendo o futebol. E mostrando que muitas vezes, talvez a maioria delas, as decisões sobre os jogadores é puramente financeira. O que era para ser um belo esporte, hoje é apenas um comércio. Quase nem adianta torcer mais. Embora, claro, exista as exceções.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tentei retratar um pouco de realidade.
      Valeu Ricky

      Excluir
  22. Oi,Claudio.Obrigada por todas as visitas e comentários.

    E por colocar meu blog para receber atualizações.

    Quanto ao face book,tenho perfil lá,página,mas nada entendo dele,amigo.

    Perdi meu outro blog porque o google deletou.Motivo? Não gosto de associar meu blog ao google.

    Tenho perfil,mas não associo,entende?

    O antigo tinha 900 posts ou mais e 200 seguidores,mas estou feliz com esse novo.Em menos tempo já estou com mais de 140. Tem uns 20 dias somente.

    Tenho um site de jogos on line tb que vc vê logo na barra acima abaixo da s descrição do blog.

    Sou viciada nesses joguinhos.

    Já tive outros blogs e notei que o google quer comandar e verifica tudo o que se publica.

    E gosto de ser livre! Sagitário é assim.Free!

    Observe entrar em blog usando o internet explorer.

    Vai ler o tempo todo que tem que instalar o googre chrome

    Eu uso o firefox e chrome que são os melhores para navegar em sites e blogs,mas ser obrigada a ter é o ó!!!
    Ninguém merece.

    A pior coisa p mim é clicar em um comentário e cair no google.

    Por isso,já peço para quem tem conta associada usar a opção de perfil "nome e url".

    Escrevi tudo antes do espaço para comentar.


    Desculpe o tamanho do comentário,mas estou tentando responder a tudo o que vc escreveu, o novo top comentarista!


    Beijos e uma linda noite

    Donetzka

    ResponderExcluir
  23. muito boa a Historia Claudio. um abrazo

    ResponderExcluir
  24. Que bom acompanhar mais um pouco da vida do Toninho, torcer por ele a cada linha. Ótimo texto, ótimo post :) !
    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mari.
      Fico feliz que tenha gostado.

      Excluir
  25. CLAUDIO.SE VC NÃO VIU O VÍDEO NO MEU BLOG,TEM O MEDIA PLAYER PARA ABRIR?

    o PROGRAMA ONDE VC ABRE MÚSICAS,ETC...

    SE TEM E NÃO VISUALIZOU,TEM QUE BAIXAR O FLASH PLAYER.

    TEM NESSE SITE OU PODE PROCURAR NO GOOGLE:

    http://get.adobe.com/br/flashplayer/completion/aih/?exitcode=0



    SE INSTALAR E CONSEGUIR VISUALIZAR O VÍDEO,AVISE-ME,OK?


    BEIJOS E OBRIGADA POR SER TÃO PRESENTE EM MEU BLOG.


    DONETZKA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode deixar Done.
      Quando eu conseguir ver eu comento lá.
      Obrigado pela visita.
      Beijos

      Excluir
  26. Mais uma ótima história de Toninho ;)

    ResponderExcluir
  27. Oi Claudio
    Muito legal a história, prendeu do começo ao fim. Agora que eu reparei que não tinha colocado seu blog entre os meus favoritos, eu tinha certeza que ele estava kkkkk, assim fica mais fácil quando vc o atualiza, mas já estou fazendo isso.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  28. Bem legal a estória e diferente!

    http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. É tão bom realizar um sonho, ótimo post.
    Te espero lá no blog
    http://cantinhodoescritoreleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  30. Muito bom e bem escrito o texto, aprecio uma boa leitura que respeita, inclusive, nossa língua.
    Parabéns pela história.

    Seguindo.

    http://mmelofazminhacabeca.blogspot.com.br/2013/06/veras-que-um-filho-teu-nao-foge-luta.html

    ResponderExcluir
  31. MUITO INTERESSANTE A HISTÓRIA. COMO SEMPRE, NEM SEI O QUE FALAR MAIS. aBRAÇO!!!
    http://alternativassonoras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  32. Obrigada pela visita do dia 20,Claudio.

    Pelo que entendi,vc deve postar no trabalho tb e não deve ter o flsh player para ver vídeos.Certo?

    Em casa tem.

    Realmente está uma competição séria entre vc e Lylian para o top comentarista!

    E é automático!

    Eu não mexo em nada!

    Beijokas e linda noite

    Donetzka

    ResponderExcluir
  33. História muito boa! Bom fim de semana para você. Abraço, Lylian

    ResponderExcluir
  34. fazendo uma visitinha por aqui hihi
    Gostei, rsrs menino de futuro em! ótima historia :D

    ResponderExcluir
  35. Que otima história!! Achei o Toninho um grande personagem, de futuro!! Adoro essas historias cheias de emoção, como uma partida de futebol!

    ResponderExcluir
  36. Gostei do texto e principalmente do estádio que ilustrou...

    http://www.arthur-claro.blogspot.com

    ResponderExcluir