domingo, 27 de abril de 2014

Sensação de amor intenso

João e Maria se conheceram quando eram crianças.
A paixão foi à primeira vista. Eles mantiveram o sentimento inocente até a adolescência quando juntos começaram a descobrir o verdadeiro amor.
A família de Maria era de posses enquanto a de João, humilde.
Os pais dela não queriam o namoro, e João, órfão de pai, tinha em sua mãe uma opositora ao relacionamento por causa do orgulho. Adelaide era funcionária na casa dos pais de Maria.
A única aliada que tinham era Juliet, prima de Maria, que acobertava os encontros escondidos. Eles foram levando este amor clandestino até entrarem para universidade. Maria foi estudar no exterior enquanto João entrou na federal.
Nunca perderam o contato e o sentimento só aumentou.
O tempo passou...
Maria retornou e eles se encontraram.
Já eram adultos e mais experientes, mas a família de Maria ainda não aceitava o relacionamento mesmo com o título de Doutor adquirido por João.
A mãe dele, a Adelaide, ainda mantinha o orgulho, devido a rejeição sofrida por seu filho, mesmo não trabalhando mais para os pais de Maria.
O relacionamento foi se deteriorando e eles se separaram.
Os pais de Maria eram muito tradicionais e arranjaram um casamento com Lauro, que pertencia a uma família da alta sociedade. Eles não a obrigaram, mas induziram-na.
Lauro era um homem digno, bonito e muito atencioso, que encantou Maria embora ela não o amasse. Porém, a carência e a desistência de amar novamente fez com que ela aceitasse o casamento.
Quando João soube do matrimônio, procurou por Maria, mas foi impedido pelos seguranças.
No dia do casamento, Adelaide, o vendo muito triste, entendeu que orgulho não vale a pena. Afinal, Maria sempre foi boa moça e o carinho por seu filho, verdadeiro.
Então ela foi até o seu amado filho e disse:
- Escreva uma carta.
- Como entregar? – questionou ele.
- Procure a prima.
Então, João procurou por Juliet e pediu-lhe o favor. E ela atendeu, mas só conseguiu quando Maria estava, vestida de noiva, na porta da igreja. Foi então quando Juliet entregou a seguinte carta...

Maria,
Não sei ao certo onde nos perdemos ou porque separamos.
Não sei o que sentes, o que sentiu o que sentirás.
Porém, eu tenho a obrigação comigo mesmo de te dizer algo.
Eu quis falar pessoalmente, mas teus seguranças não permitiram.
Então segue estas linhas...
A simples sensação de te ver, desperta meus medos mais íntimos e mexe com minhas convicções. Chego a me perder em pensamentos a cada instante que recordo dos teus abraços.
 A vida passa muito rápido e se não pegarmos o trem da felicidade que está passando, podemos não ter outra oportunidade.
Quando estou longe, não consigo dormir sem pensar no meu desejo ardente de te sentir ao meu lado. Quando estou perto, não consigo dormir porque não quero perder um minuto de estar contigo.
Esta emoção que toma conta de meu ser me torna pleno e me faz saber como é viver uma vida intensa junto a ti.
Ficar longe é frustrante e desesperador.
O amor é esta coisa louca que nos torna desvairados por instantes, insanos por outro e que arrebenta com a razão nos deixando irresponsáveis e sem consciência.
O que é o despertar desta paixão avassaladora que faz de mim uma criança desprotegida e insegura?
Não quero perder um só instante do resto de minha vida longe de ti. Não consigo mais suportar a falta dos teus beijos, do aroma do teu perfume e da suavidade da tua pele.
A vida me ensinou que, mesmo sem ti, mesmo sem poder te ter, eu consigo sobreviver, mas se eu pudesse mudar o curso da história, eu certamente saberia a escolha a fazer.
Não quero lamentar, um dia, por te perder, mas vou me lamentar o resto da minha vida por não saber te manter.
Tu deves te perguntar:
“Será? Será que ele não consegue viver longe de mim?”
Eu te digo em alto e bom tom: “SIM! Eu consigo viver sem ti, mas me pergunte novamente o que eu escolho e eu direi que minha decisão sempre foi, e será estar ao teu lado com esta louca sensação de amor intenso”.

Após ler a carta, Maria chorou compulsivamente sem que seu pai tenha entendido absolutamente nada.
Sua prima a abraçou, lhe deu discretamente dinheiro para um táxi e sussurrou em seu ouvido:
- Lugar de sempre. Eu dei a ele suas roupas.
Então, Maria saiu correndo, embarcou em um táxi e desapareceu na avenida.
Anos passaram...
Ainda há quem diz que os pais de Maria nunca aceitaram o casamento, mas mudam de ideia quando os veem na pracinha babando com os três netos. 

38 comentários:

  1. há tantos João e Maria passando por esta situação, como sempre a posição social esta em primeiro lugar , uma história para se pensar e neutra para aprofundar as emoções nos dia atuais ... bom domingo Claudio, tem sorteio no grupo, ficarei feliz com sua participação .bjs .
    http://videosdasol.blogspot.com.br/2014/04/sorteio-comunidade-do-youtube.html

    ResponderExcluir
  2. Uau arrasou na história e na carta que
    foi um sowhouuuuu
    Mais que carta emocionante com certeza
    ao ler ela foi embora com ele ali mostrou
    que o AMOR sempre vence
    Parabéns mais uma vez
    Tenha um ótimo domingo
    bjuss
    Rita!!

    ResponderExcluir
  3. Ai suas histórias são hilárias, mas sempre com uma reflexão de vida, adoro isso Cláudio! :D
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    ResponderExcluir
  4. Que lindo e que bom que o amor venceu o preconceito! Adorei! abraços,chica

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cláudio, o dinheiro fala mais alto, não é?
    Ainda bem que o amor era verdadeiro e deu certo. Belo final.
    Beijo e bom domingo!

    ResponderExcluir
  6. Que linda história! Adorei o final feliz. Qual é a sua inspiração?

    Se fosse um filme brasileiro provavelmente a mulher tinha se casado com o outro rsrsrsrsrs

    O Teorias do Leão da Montanha agora se chama Testahy. Confira as novidades:

    Testahy
    Curta: Testahy

    ResponderExcluir
  7. Achei muito real, pois a sociedade é assim mesmo, as classes sociais são observadas, e aqueles que estão bem posicionadas na sociedade, não querem perder status, não admitem que seus filhos se casem com pessoas "inferiores"financeiramente, é um negócio, um verdadeiro comércio o casamento para grande parte da humanidade.
    Gostei do final!!!!
    O amor sempre vence!!!!!
    bjus coração
    http://www.elianedelacerda.com
    não podemos perder nossa oportunidade de ser feliz, pois ela pode não passar novamente por perto!

    ResponderExcluir
  8. Boa noite amigo Cláudio!!!
    Ufa, que ótimo que o final fora feliz...
    E quais avós não babam por seus netos???
    rsrsrs
    Tenha uma semana feliz e abençoada!!!
    Abraços da Bia!!!

    ResponderExcluir
  9. Querido Chamun!
    Há quanto tempo fiquei ausente do teu blog e te devendo tantas visitas?
    Estava com saudade de ser atingida em cheio pelos teus textos e reflexões.
    "A vida passa muito rápido e se não pegarmos o trem da felicidade que está passando, podemos não ter outra oportunidade". Trecho lindo, perfeito e real! Vamos viver o agora! Perdemos tanto tempo com coisas fúteis, não é mesmo? E que se dane o dinheiro e os preconceitos!
    Ficarei por aqui me atualizando dos outros pensamentos teus que perdi.
    Um grande abraço,
    La Vie d'Lee

    ResponderExcluir
  10. Que lindo vou colocar seu link na minha fanpage
    bjs
    http://crisartigosfemininos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Pois é Claudio, esta história se repete por aí...
    Parabéns.

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Conto de fadas com quê de vida real. Infelizmente situações assim existem e a maioria sem final feliz.

    Thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Claudio


    Linda história de amor...


    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  14. Boa noite,Claudio. Que linda essa história e como acontece !

    Beijos e uma semana de alegrias

    Donetzka

    Face Book:


    https://www.facebook.com/donetzka.cercck


    Blog Magia de Donetzka


    ResponderExcluir
  15. Nossa que história de amor hein!
    Da para escrever uma novela bem romântica rsrsrsrs
    bjcas
    http://estou-crescendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Quantos Joões e marias estão espalhados por aí, né?! Ótimo texto!
    Beijo
    Letícia
    www.leticiapsicologa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Nossa!que historia de amor mais lindo ,é umas das historias mais belas que já li até agora sobre o amor,e quantos joão e Maria existe pelo mundo a fora ...Adorei o texto Claudio parabéns.☺

    ResponderExcluir
  18. Amigo, já falei que vc é demais, mas vou repetir pq vc é mesmo demais kkkkk
    Adoro passar por aqui, ler teus contos e ficar esperando ansiosa pelo final. Amei!
    Bjssss e um maravilhoso feriado p/vcs

    ResponderExcluir
  19. Olá. Se eu te contar que chorei ao ler a carta vc acredita? Passou na minha cabeça que talvez terei que escrever algo do tipo e me senti muito triste por isso..

    Mas adorei o texto em si.

    Vim correndo quando vi que me perguntou onde eu estou.. Não entendi kk
    Pois estou aqui, apenas não estava no pique de responder comentários e nem postar, ando tão triste queria escrever mas não consigo.

    Kisu
    www.eraoutravez.com

    ResponderExcluir
  20. Conheço meu marido desde os 5 anos. Tivemos outros relacionamentos, mas não deram certo... Acabamos nos casando pq sempre nos amamos, na realidade!!! Sabe amor proibido? Era o nosso!

    Bjs – Su
    www.rosachiclets.com.br

    ResponderExcluir
  21. Essa Maria é corajosa, hein!
    Largar tudo em cima da hora...
    Bem, antes tarde do que nunca... que bom que ela resolveu decidir amar por si mesma e não pela escolha dos pais.
    Belo texto!

    http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Quantas chances se perdem na vida os que dão mais valor ao orgulho, mesmo os que dele nada tenham a perder... muito bom meu caro.

    ResponderExcluir
  23. Que linda história!
    Muito corajosa a Maria, mas também muitos corajosos o João e a Juliet.
    E que bom que os pais entenderam que o amor dos dois prevaleceram a tudo!
    Acho que esta daria um ótimo livro de romance com muitas e muitas páginas cheias de amor!

    detudoumpouco28.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Uma história emocionante onde o amor verdadeira saiu triunfante.

    Adorei a narrativa.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  25. Oi, Claudio!
    Quantas pessoas existem porque não seguiram seus sentimentos?
    Os pais têm a mania de controlar os filhos como se a vida dos filhos fossem as deles. Ainda bem que o casal seguiu seu caminho! E bem parece uma história "real"...
    Beijus,

    ResponderExcluir
  26. El amor siempre triunfa, quería darte las gracias por tu visita a mi blog. Un ABRAZO

    ResponderExcluir
  27. Que lindo! Muito bem escrito como sempre. E com final feliz, eba!!!
    Gostei do nome da moça, rsrsrs.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  28. Passando para deixar um.....


    Bom final de semana
    Bjusss
    **Rita**

    ResponderExcluir
  29. No fim o que importa mesmo é a felicidade e para sermos felizes às vezes temos que cometer algumas 'loucuras', como fizeram João e Maria.

    ResponderExcluir
  30. Quem dera todos soubessem dar valor as últimas oportunidades de ser feliz. Quem dera o amor saísse sempre vitorioso contra o medo, o orgulho, o preconceito... Quem dera as pessoas entendessem que a vida pode e deve ser mais leve, mais bonita e mais sincera...

    Bela estória, Claudio.
    Encantando, como sempre.

    eraoutravezamor.blogspot.com
    semprovas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Onnnn'w que lindo o texto.
    Pena que a sociedade ainda é burra nesses casos que a pessoa e pobre e a outra e rica sempre pensam que tem preconceito. Mas os corações dessas famílias preconceituosas sempre o que amolece os corações são os netos.

    Que romântico.
    Nunca tive um amor de infância ou eu e a pessoa ainda vamos nos encontra rs.

    abraço
    http://rodrigobandasoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  32. Eu adorei! Adoro histórias de amores que se mantêm. Eu me emocionei com o que diz a carta. Muito lindo! Amei o final com os avós babões!

    ...beijinhos***

    ResponderExcluir
  33. Quando é amor verdadeiro, arrebatador, não tem jeito... até o impossível se faz possível.

    Claudio, desculpe a ausência, mas continuo sem internet. Também tive problemas com o GFC e parei se seguir todos os blogs para tentar solucionar. Aos poucos estou seguindo os amigos novamente. Bom fim de semana, tudo de bom pra ti! Um abraço!

    ResponderExcluir
  34. Ah, vou add teu espaço na minha lista de blogs do A Rosa e a Geada :)

    ResponderExcluir
  35. Adoro finais felizes,
    ainda mais quando cada
    pessoa reconhece seu papel
    e o orgulho não vence.
    Linda semana.
    CatiahoAlc/ReflexodAlma

    ResponderExcluir